Lembre-se de uma situação em que você se sentiu imensamente amado por Deus. Compartilhe.

Depois que entramos no Reino, começamos a viver uma vida diferente.

Como crescemos e nos desenvolvemos na Eclésia? (Mc. 4:26-29)

Muitos estão na igreja e vivem uma vida inferior, sem o poder que Deus disponibilizou à Sua igreja. Por que isso acontece? A resposta está em Lucas 13:18-29: “Então Jesus perguntou: “Com que se parece o Reino de Deus? Com que o compararei? É como um grão de mostarda que um homem semeou em sua horta. Ele cresceu e se tornou uma árvore, e as aves do céu fizeram ninhos em seus ramos””. O Reino de Deus se desenvolve.

Jesus fala sobre isso mais uma vez em Marcos 4:26-29, quando conta a parábola da semente. O que Ele está dizendo é que existe um princípio de crescimento no Reino de Deus, um processo. Assim como quando nasce um bebê. Ele é perfeito, mas ainda não sabe andar, não sabe falar, precisa se desenvolver. Para crescermos no Reino de Deus existem alguns segredos.

Que nível de poder do Espírito você já alcançou?

Já falamos sobre os níveis de poder: Filhinhos – têm os pecados perdoados, sabem que o Pai os ama, os ouve e cuida deles; Jovens – são fortes, permanecem na Palavra, vencem o inimigo e são exemplos de vida para outros; Pais – são maduros, fazem as mesmas obras de Jesus, formam discípulos, pregam, ensinam, curam e expulsam demônios (1Jo. 1:12-14).

Para crescermos no Reino de Deus precisamos deixar de ser filhinhos e nos tornarmos cristãos maduros, que dão frutos. E para isso acontecer precisamos deixar tudo o que está velho para trás: “Logo, todo aquele que está em Cristo se tornou nova criação. A velha vida acabou, e uma nova vida teve início” (2Co. 5:17 NVT). Um novo Reino tem a ver com um novo homem. Deus nos trouxe das trevas para a luz, mas, para isso, nos deu uma nova natureza.

Outra verdade de que precisamos nos lembrar está em Romanos 6:6-7: “Sabemos que a nossa velha natureza humana (velho homem) foi crucificada com Cristo, para que o pecado não tivesse mais poder sobre nossa vida e dele deixássemos de ser escravos. Pois, quando morremos com Cristo, fomos libertos do poder do pecado” (NVT). Lá na cruz morreu, junto com Cristo, o nosso velho homem. Fomos crucificados com Ele (Gl. 2:20)!

O cristianismo não é uma questão de conhecimento mental, é uma questão de experiência com Cristo, de morrermos e ressuscitarmos com Ele. Precisamos conhecer essa verdade e crer nela. Para entender isso, precisamos entender um conceito que se chama Reflexos Automáticos.

Precisamos nos livrar dos reflexos automáticos! O que são os reflexos automáticos?

É como andar de bicicleta. Depois que aprendemos, podemos ficar anos sem andar, mas não nos esquecemos. Nosso corpo aprende esse comportamento, é um reflexo automático. Ou seja, depois que fazemos uma coisa por muito tempo, tendemos a fazê-la automaticamente. Mas o que isso tem a ver com a nossa nova vida? Vivemos bastante tempo no reino das trevas e, quando recebemos a Jesus, continuamos sendo tentados em algumas coisas, é automático. Há certos comportamentos que são automáticos.

Muitas pessoas vivem anos na igreja e não mudam o seu comportamento, continuam com as mesmas manias, os mesmos hábitos, as mesmas palavras. Continuam caindo no pecado constantemente durante anos.
Exemplo: do frango sem cabeça que demora 2 minutos para parar de se mexer, a barata: 3 dias.

Do que precisamos nos livrar?

A Bíblia diz que mudamos de Reino, que não pertencemos mais ao reino das trevas. Por isso, não somos mais escravos do pecado, não precisamos mais desses reflexos automáticos, podemos abandoná-los! Temos o poder de viver uma nova vida. Em Colossenses 3:5-10 Paulo dá a lista dos reflexos automáticos que podemos ter. E ainda avisa que isso podia nos dominar antes, mas não nos domina mais! É algo que experimentamos e se renova continuamente! A chave do crescimento está em este novo se renovar em nossa vida continuamente.

Algumas pessoas demoram muito para abandonar os hábitos do velho homem porque, primeiro, não conhecem ou não creem na verdade da nossa morte e ressurreição com Cristo. Segundo, porque não são discipuladas, não são ensinadas a viver no Reino de Deus.

Qual é a diferença entre o velho homem e o novo homem?

Se não conhecemos o poder da nova vida em Cristo, não conseguimos viver a vida que Deus tem para nós e nos tornamos religiosos. Adão, o primeiro homem, antes da queda, foi criado à imagem e semelhança de Deus. Ele tinha intimidade com Deus, estava cheio do Seu amor e vivia num ambiente de amor. Mas o homem foi criado com a liberdade de escolher. E ele escolheu o pecado, ficou independente de Deus. Sua natureza se tornou carnal e ele deixou de experimentar o amor de Deus, não conseguia mais receber amor, mas ainda desejava ser amado.

O amor de Deus é um amor de mão única, incondicional. Ele nos ama independentemente do que façamos, mesmo que não O amemos. Esse era o amor que Adão experimentava. Mas, depois que ele cai perde a noção do verdadeiro amor. Começa a pensar num amor condicional, de duas vias, que sempre espera algo em troca. Então vem Jesus, o segundo homem. Ele nos liberta do pecado e do velho homem, nos dá o Seu Espírito Santo, nos faz participantes da Sua natureza (1Pe. 1:4) e nos enche com o Seu amor. E aí podemos viver a nova vida que Ele tem para nós (Rm.5:5).

O velho homem exigia ser amado, quer tudo do seu jeito, depende do amor e da aceitação dos outros, desanima facilmente, se ofende facilmente e tem muitos medos. Já o novo homem não exige amor, mas ama, oferece e se entrega. Depende do amor de Deus e sabe que é aceito por Ele. Persevera, perdoa facilmente e não tem medo, porque “o perfeito amor lança fora todo o medo” (1Jo. 4:18).

Como praticar a vida do novo homem?

Não tem a ver com o esforço. Uma laranjeira não precisa se esforçar para produzir laranjas, o ramo da videira não precisa se esforçar para produzir frutos. É natural. Não começamos fazendo, começamos sendo, descobrindo quem somos em Cristo Jesus. Que somos filhos de Deus, perdoados, não somos mais escravos e nem controlados pelo passado.

Então, para praticar a vida do novo homem precisamos: (1) descobrir quem somos em Cristo, ter intimidade com Deus; (2) viver pela fé na Palavra, experimentando o poder de Deus desta nova vida; (3) viver o discipulado, aprendendo a como viver e ensinando a outros.

Mas não adianta sabermos de todas essas coisas e não as colocarmos em prática (Tg. 1:23-24; 2Co. 3:18).

Você crê que é filho amado de Deus?

Esse é o primeiro passo para viver a nova vida que você tem em Cristo. O que a Palavra de Deus diz sobre você é que é a verdade. Não importa o que os outros dizem ou pensam de você, o Senhor te ama profundamente e deu o Seu único filho para te salvar. Ele assumiu as suas culpas e o peso do seu pecado. O que você precisa fazer é crer nessa verdade.

Deixe que esse amor inunde o seu coração, te ajude a perdoar e a superar os hábitos do velho homem. Peça ajuda a Deus e creia no Seu amor. Deixe que o amor de Deus flua através de você e transforme a realidade em que você vive, as pessoas ao seu redor.

Escreva um comentário

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga-nos: