SENTIR (quebra-gelo)

Quando você ouve as palavras: “Vida abundante”, o que vem a sua mente?
Alguns de nós pensam em família, dinheiro, riquezas, prosperidade, mas e você, no que você pensa?

APRENDER

Nosso estudo do livro de Atos até aqui nos apresentou uma igreja corajosa, homens e mulheres cheios do Espírito Santo que pregavam o evangelho de Jesus Cristo, transformavam os lugares onde passavam e deixavam os religiosos de cabelo em pé.

Após o pentecostes, onde todos foram cheios do Espírito Santo, os apóstolos iniciam um momento de compartilhar o evangelho, com curas e maravilhas, até que eles sejam presos e proibidos de ensinar no nome de Jesus, mas eles respondem aos religiosos com a seguinte frase: “Os senhores acreditam que Deus quer que obedeçamos a vocês e não a Ele?”.

Muitas pessoas estavam mudando suas vidas, existia um espírito de generosidade entre eles, abundante graça, eles se reuniam no templo, muitos doentes eram curados e muitas pessoas vinham de outras cidades para estar com eles. O povo amava os discípulos, eles tinham compaixão das pessoas. Isso tudo gerou um sentimento de inveja nos religiosos, que pensavam que poderiam perder o seu poder. As maravilhas estavam se tornando notícias, estavam se espalhando e incomodando muita gente.

A inveja dos religiosos

“Tomados de inveja, o sumo sacerdote e seus oficiais, que eram saduceus, prenderam os apóstolos e os colocaram numa prisão pública. Um anjo do Senhor, porém, veio durante a noite, abriu as portas do cárcere e os levou para fora. “Vão ao templo e transmitam ao povo esta mensagem de vida!”, disse ele. Desse modo, ao amanhecer, os apóstolos entraram no templo, conforme haviam sido instruídos, e, sem demora, começaram a ensinar. Mais tarde, o sumo sacerdote e seus oficiais chegaram, reuniram o conselho, isto é, toda a assembleia dos líderes de Israel, e mandaram buscar os apóstolos na prisão. Mas, quando os guardas do templo chegaram à prisão, os homens não estavam lá. Então voltaram e contaram: “A prisão estava bem trancada, com os guardas vigiando do lado de fora, mas, quando abrimos as portas, não havia ninguém!”. Ao ouvir isso, o capitão da guarda do templo e os principais sacerdotes ficaram perplexos e se perguntavam o que aconteceria em seguida. Então alguém chegou com a seguinte notícia: “Os homens que os senhores puseram na cadeia estão no templo, ensinando o povo!”. O capitão e seus guardas foram e prenderam os apóstolos, mas sem violência, pois temiam que o povo os apedrejasse. Em seguida, levaram os apóstolos e os apresentaram ao conselho de líderes do povo, onde o sumo sacerdote os confrontou. “Nós lhes ordenamos firmemente que nunca mais ensinassem em nome desse homem”, disse ele. “E, mesmo assim, vocês encheram Jerusalém com esse seu ensino e querem nos responsabilizar pela morte dele!” Pedro e os apóstolos responderam: “Devemos obedecer a Deus antes de qualquer autoridade humana. O Deus de nossos antepassados ressuscitou Jesus dos mortos depois que os senhores o mataram, pendurando-o numa cruz. Deus o colocou no lugar de honra, à sua direita, como Príncipe e Salvador, para que o povo de Israel se arrependesse de seus pecados e fosse perdoado. Somos testemunhas dessas coisas, e assim é também o Espírito Santo, que Deus dá àqueles que lhe obedecem”.” – Atos 5:17-32

Os Saduceus eram um partido de grande poder naquela época, eles tinham um vínculo com Roma, e carregavam autoridade sobre Israel. O sumo sacerdote e seus associados não eram somente os mentores espirituais que controlavam os serviços do templo e sua área, mas também exerciam autoridade sobre o sinédrio, o senado.

A inveja do sumo sacerdote Anás e dos líderes saduceus não tinham origem no zelo pela palavra e por Deus, mas sim no fato de manter a sua autoridade, eles temiam os apóstolos. Na intenção de parar o avanço do evangelho os saduceus mandaram prender os apóstolos, em cárcere, mas algo acontece, no dia seguinte da prisão, os guardas foram buscar os discípulos, mas não havia ninguém, as grades estavam trancadas, mas durante a noite, o texto diz que um anjo do Senhor veio e libertou os discípulos.

Os saduceus receberam a noticia depois, dizendo que: “Os homens que os senhores puseram na cadeia estão no templo, ensinando o povo!”. Então o coração deles se encheu de medo, eles mandaram chamar novamente os discípulos, e os confrontaram, dizendo que haviam ordenado que parassem de pregar no nome de Jesus Cristo. Mas eles responderam: “Devemos obedecer a Deus antes de qualquer autoridade humana.”

Esse texto de Atos 5 nos mostra as marcas da vida cristã que estavam reveladas nos discípulos, a coragem, a obediência e a experiência pessoal com o Espírito Santo. Mesmo diante da perseguição dos líderes religiosos da época, os apóstolos não se deixaram abater, confiaram no Espírito Santo e nas palavras de Jesus.

REFLETIR

Gamaliel e o Sinédrio
Na continuação do texto, vemos os apóstolos diante do sinédrio novamente. Os saduceus atacam os discípulos, os fariseus estão divididos, alguns até apoiam os apóstolos, mas uma deles se levanta, Gamaliel, que formou Saulo de Tarso.

“Portanto, meu conselho é que deixem esses homens em paz e os soltem. Se o que planejam e fazem é meramente humano, logo serão frustrados. Mas, se é de Deus, vocês não serão capazes de impedi-los. Pode até acontecer de vocês acabarem lutando contra Deus”. – Atos 5:38-39

Gamaliel cita outros movimentos que se levantaram e depois morreram, e compara o cristianismo a eles. O texto diz que os demais membros aceitaram o conselho de Gamaliel, mas depois mandaram açoitar os apóstolos e ordenaram que nunca mais falassem em nome de Jesus Cristo.

Esse texto também nos leva a uma reflexão, os planos que nós temos feito, são de Deus ou são meramente humanos?

A sabedoria da fala de Gamaliel nos confronta sobre os nossos sonhos e planos, sobre aquilo que Deus nos pediu e sobre tudo o que desejamos fazer.

Os discípulos tinham uma missão e os religiosos da época queriam impede-los de cumpri-la. Mas eles tinham a certeza de que Deus estaria com eles independente da situação.

 

APLICAR E ORAR (separe entre homens e mulheres)

Vida abundante ou religiosidade?

“Quando os apóstolos saíram da reunião do conselho, estavam alegres porque Deus os havia considerado dignos de sofrer humilhação pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e de casa em casa, continuavam a ensinar e anunciar que Jesus é o Cristo.”- Atos 5:41-42

Mesmo após o conselho de Gamaliel, os religiosos não se sentiram satisfeitos, mandaram torturar os apóstolos e tentaram exercer autoridade sobre eles. Religiosos não suportam os que pensam diferente, são orgulhosos e tem medo de perder a posição que eles tem.

Já os discípulos saíram alegres, felizes por terem sido açoitados em nome de Cristo. Eles não ficaram ofendidos e nem guardaram rancor dos fariseus e saduceus. Os discípulos viviam uma vida abundante, viviam com o Espírito Santo direcionando as suas ações, não se importaram com a humilhação, não se importaram com a honra aos homens, mas com a glória de Deus.

O cristão verdadeiro não vive pelo medo, vive pela fé.

Líder: Encoraje sua célula a orar por arrependimento, para que a nossa comunidade experimente o mover sobrenatural do Espirito Santo, assim como a igreja de atos. É momento de orarmos com ousadia pedindo para que o Senhor nos encha para abençoarmos nossa cidade!

Siga-nos: