Você já foi favorecido? Já recebeu um favor que fez outras pessoas ficarem irritadas?

Nosso país é cheio de favoritismo. Favoritismo é conceder compensações ou privilégios a alguém, por influência, amizade, parentesco, etc., sem levar em consideração valores como competência, merecimento e honestidade, segundo um julgamento pessoal. Nós podemos tanto favorecer alguém quanto ser favorecidos. A questão é que, não existe favoritismo sem julgamento. Eles andam juntos.

O julgamento pode acontecer de diversas formas: pelo que éramos no passado, por aquilo que temos, por aquilo que não temos, pela nossa roupa, pelo nosso cabelo, pelo nosso carro…. A questão de favoritismo e julgamento é muito séria: a Bíblia trata isso como ACEPÇÃO DE PESSOAS.

É possível julgar alguém sem ser imparcial, ou seja, sem considerar que benefícios podemos receber por isso?

Deuteronômio 10:17

Deus nunca age com parcialidade. Por que isso acontece? Ele não deveria favorecer os que O amam?

Ele age com imparcialidade PORQUE AMA A TODOS e se importa tanto com um quanto com o outro. Deus sempre espera O MELHOR DE TODOS NÓS. Nós é que esperamos o pior, sempre baseando as nossas expectativas sobre as pessoas nas nossas experiências ruins, achando que vai ser sempre igual.

Tiago 2:1-8

Na época do livro, a maioria dos cristãos eram pobres. E quem é pobre precisa de mais fé, certo? Os ricos confiam em seu dinheiro, pelo menos até o momento em que perde ou o dinheiro não pode resolver.

Tiago nos ensina que não podemos ter preferências por um e desprezar o outro, ou seja, amar e favorecer aquele que tem algo a nos oferecer e desprezar aquele que não tem. E a questão toda não é só em relação ao dinheiro, mas sim em relação aos JULGAMENTOS, ações que tomamos com base nas nossas impressões e opiniões e que sempre afeta a vida de outras pessoas. Nós julgamos o valor dos outros com base em maus motivos: não por aquilo que a pessoa é, mas pelo que nós achamos dela.

Nós somos rápidos para julgar, mas precisamos aprender que, quem faz diferença entre as pessoas está fazendo julgamentos com critérios errados, motivos e pensamentos maus.

Será que parte dos nossos sofrimentos e problemas tem relação com o fato de julgarmos muito as pessoas? O que você acha?

Tiago não está nos dizendo para confiar em todos. Ele está falando a respeito da ideia que fazemos das pessoas que se aproximam de nós, da forma como olhamos para elas, com opiniões e critérios errados.

Quais são os critérios errados? Quais são os pensamentos que geralmente nos levam a julgar as pessoas?

Fazemos diferenças entre as pessoas por conta de sua condição financeira, por conta dos bens que possuem, cargos que ocupam nas empresas, cor da pele, aparência física…. Estamos sempre julgando! É fácil identificarmos quando somos discriminados. Mas e quando nós discriminamos? É fácil reconhecer?

Deus não está interessado no que temos ou parecemos, mas sim no que SOMOS. Nós rotulamos as pessoas sempre lembrando das coisas ruins que fizeram ou do quão maus eram e não levamos em conta as mudanças pelas quais passaram. Já pensou se Deus fizesse o mesmo? Você seria alguém bem visto ou mal visto?

Você gostaria de ser sempre julgado pelo seu passado?

Jesus nos disse que da mesma forma que julgarmos seremos julgados.

Como resolvemos essa questão dos julgamentos? O que é preciso fazer?

Tiago 2:12-13

Amar e exercer misericórdia. Se amarmos nosso próximo como a nós mesmos, não vamos julgar, não vamos fazer diferenças e agir com parcialidade. Nós podemos dar outra chance para aqueles que nos fizeram mal, pois Deus nos deu outra chance. Não precisamos guardar rancor e nem procurar vingança, pois isso nos impede de amar.

Nós sempre achamos que merecemos uma segunda (terceira, quarta, quinta) chance…

E as outras pessoas? Elas não merecem?

E se o Senhor nos julgar do mesmo modo que temos julgado os outros: será que temos chance nesta vida?

Você tem se sentido julgado em alguma situação em sua vida?

Existe alguém que não te traz boas impressões e que, por isso, você acaba sempre afastando, sem perdoar?

Escreva um comentário

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga-nos: