SENTIR (quebra-gelo)

Qual é a maneira que você se sente amado? (deixem as pessoas conversarem e darem exemplos). REFORCE: nós também somos amados quando falam a verdade para nós. Falar a verdade em amor nos ajuda a amadurecer.

APRENDER

Na semana passada, falamos de duas igrejas: Igreja de Jerusalém (igreja primitiva – Atos 2:42-47) x Igreja de Corinto (Igreja inoperante – 1 Coríntios 11:30).

Ambas foram plantadas para fluir do mesmo modo, o mesmo Espírito estava em ambas! Mas em Jerusalém havia homens que impactavam, cidades transformadas, apenas as sombras deles curavam. Já em Corinto, isso não se estendeu. Pelo contrário, havia pessoas morrendo e o pecado era aceito conscientemente.

Hoje, somos mais parecidos com a igreja de Jerusalém ou com a de Corinto?
Daniel 11:32 diz: O povo que conhece o seu Deus será forte e fará proezas”.

A igreja primitiva era forte, mas a de Corinto e, muitas vezes, a que refletimos hoje, é uma igreja fraca, que cede à kriptonita. A palavra “conhecer” é “yada” em hebraico, que significa conhecer intimamente, saber com experiência. Ou seja, o povo que conhece intimamente a Deus, será forte e fará proezas. Daniel não se refere apenas a ouvir falar, mas ao nível mais íntimo de relacionamento que existe.

Você conhece a Deus? Aqueles que conhecem (yada) a Deus são os fortes, que operam proezas, que vivem como a igreja de Atos!

Quando Deus criou o homem, qual acha que era seu objetivo? Proximidade? Amizade?

Quando Deus criou a cada um de nós, seu objetivo era a intimidade verdadeira, como no matrimônio (Isaías 54:5, Efésios 5:31-32). A coisa mais importante para o nosso Pai é o nosso relacionamento verdadeiro e íntimo com Ele!

REFLETIR

Como você ficaria sabendo que seu cônjuge não ama mais você? Provavelmente muito triste.

Da mesma forma é Jesus. Muitas vezes, deixamos de amar Jesus, buscamos a Ele somente pelas bênçãos, mas não pela intimidade, relacionamento. Esquecemos que a aliança que Cristo tem com a Igreja é como matrimônio.

Jesus voltará para buscar sua NOIVA. Não uma amante, uma “paixão”, um relacionamento superficial, sem intimidade. Ele virá para buscar sua Noiva, que O ama de todo coração. Dedica-se à Ele, é fiel, que empenhou sua palavra e a cumpre. É por essa noiva que Ele voltará.

Você se casaria com uma pessoa infiel a você? Por que não?

Por uma simples razão: a lealdade da pessoa está dividida. Não importa que ela que dedique 90% do tempo a você, pois ainda terá outras coisas que roubam sua atenção, seu coração.

Ao longo de toda a Bíblia, Deus nos oferece uma aliança matrimonial. Nós casamos com Jesus. Ele empenhou Sua palavra, Ele voltará para nós. Deus não quer ser o apenas o favorito, o número um, Ele quer ser o ÚNICO!

Mas acontece que, muitas vezes, nós queremos Jesus, nós gostamos de estar com Jesus, nós até damos tempo para Ele, mas o problema é que nós também queremos “os outros”.

Colocamos nossos desejos, vontades, preferências e estilos de vida acima de Deus. Não conseguimos colocá-lo como único. E isso é o que diferencia sermos como a igreja de Atos ou como a de Corinto.

Quem não dedica sua vida única e inteiramente ao Pai, tem dificuldade para dizer não ao pecado, certamente tem o coração divido, ou seja, não tem a Jesus como único. Quando agimos assim, somos como um adúltero (Tiago 4:4).

Cometer adultério com o mundo é ser guiado pelo desejo intenso daquilo que o mundo oferece (1 João 2:16). É alimentar nossa independência de Deus, nosso orgulho.

A igreja de Corinto fracassou porque tornou o que ÚNICO como opção. E isso certamente é uma kriptonita que nos enfraquece.

Sabe, então, o que é a kriptonita? Sabe o que é que arranca nossa força e nos impede de sermos “supers”, de operarmos as proezas daqueles que conhecem a Deus? A IDOLATRIA.

O povo de Israel, todas as vezes que sofreu ou foi derrotado, era porque estava envolvido em idolatria a outros deuses. Veja: eles nunca deixaram a Deus, mas sua atenção, seu amor, sua lealdade, estava dividida.

A idolatria de hoje não é apenas a imagem, o altar. Mas também rebeldia, arrogância, a cobiça e o desejo de ter prazer com status, aceitação, amigos, riqueza, lucro, fama, reputação, poder, luxúria e muitas coisas que no final são movidas pela frase: “Eu preciso ter. Quero muito. Não abro mão disso. Aquilo é bom para mim”.

A kriptonita não é o pecado, mas é o que me tira a força e me faz pecar. A kriptonita é o meu desejo em primeiro lugar, é a idolatria.

APLICAR E ORAR (separe entre homens e mulheres)

Todos os dias somos chamados a decidir: amamos a Deus ou amamos o mundo? Qual é a nossa escolha? É o relacionamento com Deus ou os outros relacionamentos? Amamos a Deus ou amamos as coisas de Deus?1

Como no casamento, nosso relacionamento com Jesus se constrói a dois. Precisamos ir até Ele, nós temos uma escolha! Podemos dizer não ao pecado, não à cobiça da carne.

Muito desejo nos leva à idolatria, que nos leva à mentira, solidão, ao pecado, que nos faz viver nas trevas. E, com isso, por mais que você tenha tudo no mundo, o seu coração estará dividido e morto.

Só podemos nos chamar de cristãos se temos a natureza de Cristo. Precisamos ter esse temor em nosso coração. O Senhor só quer uma coisa de nós: que tenhamos somente a Jesus, que Ele seja o ÚNICO!

Como está hoje o nosso coração? Chegou o tempo de abandonarmos a idolatria.

Dedique um tempo de oração para que o Espírito Santo possa agir nos corações de cada um. Orem para que, em tudo na nossa vida, Jesus seja o único. Que nosso coração seja fiel e leal somente a Ele. Ore para que cada um possa entregar seu coração totalmente a Ele, sem reservas e sem voltas. Lembre do presente que hoje Deus nos dá: o arrependimento. Esteja atento àqueles que precisam de uma oração específica ou confessar situações na vida que tem estado debaixo da idolatria, colocando Deus em segundo plano.

Escreva um comentário

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga-nos: