SENTIR (quebra-gelo)

Alguém já mentiu para você? Como você se sentiu?

APRENDER

Você já falou consigo mesmo?

É quase impossível encontrar uma pessoa que não converse consigo mesma. Todos nós, em algum momento, fazemos isso. A questão é o que essas conversas têm produzido. Quando você fala consigo mesmo, o que mais sente depois? Encorajamento, motivação, vontade de prosseguir, vontade de perdoar, fé e coragem ou desânimo, frustração, vontade de desistir, desejo de vingança, medo e ansiedade? A realidade é costumamos sair muito bem de um papo com nós mesmos.

Em João 10:10, Jesus fala: “O ladrão vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para lhes dar vida, uma vida plena, que satisfaz”. Na versão da Bíblia A Mensagem, o texto diz: “O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir. Eu vim para que eles tenham uma vida verdadeira e eterna, uma vida melhor e mais rica que qualquer outra com que tenham sonhado”.

Quando Jesus diz “abundante, plena e que satisfaz”, Ele usa a palavra grega “perissos”, que quer dizer “algo além, que excede, mais do que é necessário, muito mais do que tudo, superior, extraordinário, excelente, incomum”. Uau! Mas isso não combina nem um pouco com as vozes que temos em nossa mente, não é verdade?!

Qual é o contexto dessa vida abundante de que Jesus fala?

Para entender como Jesus chegou nessa fala, precisamos ver o que vem antes. Ou seja, os nove primeiros versículos do capítulo 10 do evangelho de João: ““Eu lhes digo a verdade: quem entra no curral das ovelhas às escondidas, por sobre a cerca, em vez de passar pela porta, é certamente ladrão e assaltante! Mas quem entra pela porta é o pastor das ovelhas. O porteiro lhe abre a porta, e as ovelhas reconhecem sua voz e se aproximam. Ele chama suas ovelhas pelo nome e as conduz para fora. Depois de reuni-las, vai adiante delas, e elas o seguem porque conhecem sua voz. Nunca seguirão um desconhecido; antes, fugirão dele, pois não reconhecem sua voz.” Os que ouviram Jesus usar essa ilustração não entenderam o que ele quis dizer, por isso ele a explicou: “Eu lhes digo a verdade: eu sou a porta das ovelhas. Todos que vieram antes de mim eram ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os ouviram. Sim, eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo. Entrará e sairá e encontrará pasto. O ladrão vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para lhes dar vida, uma vida plena, que satisfaz””.

Jesus é o nosso pastor, e nós somos Suas ovelhas. Ele nos ama e cuida de nós, nos diz palavras de amor e aceitação. Sua voz fala sobre salvação, segurança, direção, proteção, alimento, verdade e sobre uma vida plena e que satisfaz. Mas a passagem fala sobre mais uma voz, além da do pastor. Essa voz é a do nosso inimigo. Ela fala sobre perdição, medo, confusão, separação do rebanho, prisão, falta, mentira e destruição.

As vozes do inimigo entram na nossa mente de maneira sorrateira, “por sobre a cerca”. Muitas vezes, temos ideias em nossas mentes que não são nossas, que não sabemos como entraram lá. O ladrão quer destruir a nossa vida sendo uma voz que diz quem somos e quem não somos.

Qual é a arma que o inimigo usa contra nós?

A mentira! Ele não precisa de metralhadoras, armas de fogo ou espadas. A única coisa que o inimigo precisa fazer para entrar nas nossas mentes é nos fazer acreditar em uma mentira. Ele é um falsificador. E ele não faz isso como uma acusação contra nós, mas lança mentiras em primeira pessoa, como se nós estivéssemos dizendo para nós mesmos. Sua ideia é plantar uma semente, uma intenção, uma sugestão simples.

Quando aceitamos essa mentira, o diabo ganha controle sobre nós. Passamos a ouvir a sua voz, fazemos o que ele espera que façamos e nos tornamos a sua boca, propagando mentiras que afetam também outras pessoas. É exatamente o que a serpente fez com Eva no Jardim do Éden, plantou uma mentira em sua mente que levou ela e Adão a desobedecerem a Deus (Gn. 3). Eles tinham um relacionamento com Deus e ouviam a Sua voz. Mas, a partir do momento em que acreditaram na mentira da serpente, passaram a ouvir a voz do inimigo. Passaram a sentir medo e vergonha.

Quais são as mentiras do inimigo em que podemos estar crendo agora?

De que não somos valorizados onde estamos, por isso precisamos sair dos nossos empregos, do curso em que estamos na faculdade, do ministério em que servimos. De que a igreja não nos dá oportunidades, por isso precisamos sair. De que não podemos confiar nas pessoas, porque elas vão nos trair. De que não precisamos compartilhar nossas necessidades e dificuldades, que precisamos ser fortes sozinhos.

Ele também tenta nos fazer acreditar que enquanto não pagarmos por nossos pecados, não poderemos prosperar. Que se Deus quisesse nos abençoar, já teria feito, por isso precisamos desistir. Que teria sido muito bom se tivéssemos as chances que as outras pessoas tiveram. São tantas, tantas mentiras! E elas vêm para minar a nossa identidade, para nos impedir de viver a vida plena, que satisfaz.

REFLETIR

Como podemos discernir a voz de Deus e deixar de acreditar nas mentiras do inimigo?

A voz do nosso Pastor é inconfundível. Ela nos encoraja, nos consola, nos edifica, nos diz para perdoar e para não guardar rancor, para não procurarmos a vingança. Diz que somos importantes, que o Senhor sempre nos amou e que não há nada que mude esse amor, que há esperança para nós porque Ele está ao nosso lado, que não precisamos ter medo e nem desistir, que somos mais do que vencedores e que Ele nos vê, conhece o nosso coração e nunca nos deixa desamparados.

Quanto amor! Essas são as palavras do Senhor pra nós. Tudo o que sai disso é mentira do inimigo. Tudo o que nos traz peso, culpa, insegurança e vergonha não vem do nosso bom Pastor. Só Deus pode dizer quem nós somos, é a Palavra dele que importa. E Ele também nos deu armas sobrenaturais para vencer as mentiras que o diabo tenta lançar contra nós.

Quais são essas armas sobrenaturais?

O apóstolo Paulo escreveu em sua segunda carta aos coríntios: “Usamos as armas poderosas de Deus, e não as armas do mundo, para derrubar as fortalezas do raciocínio humano e acabar com os falsos argumentos. Destruímos todas as opiniões arrogantes que impedem as pessoas de conhecer a Deus. Levamos cativo todo pensamento rebelde e o ensinamos a obedecer a Cristo” (10:4-5).

Precisamos usar as armas poderosas de Deus para lutar contra as mentiras do inimigo. E elas são: a Palavra de Deus, a oração – a sós e em grupo –, a comunhão – na célula, no discipulado –, a participação nos cultos e nas reuniões, o jejum, a intercessão, a generosidade, a fé e o arrependimento. Isso impede que sejamos dominados pelas vozes na nossa mente que não vêm do nosso Salvador.

Deus nos deixou todas essas armas para que possamos viver a vida plena e que satisfaz que Ele preparou para nós.

APLICAR E ORAR (separe entre homens e mulheres)

Em que mentiras você tem acreditado?

Muitas vezes, acreditamos em algumas mentiras há tanto tempo que elas se tornam naturais para nós. Mas Deus quer nos livrar dessas mentiras, quer nos livrar das fortalezas que têm nos impedido de prosseguir. E Ele quer fazer isso hoje!

Ore, pedindo ao Espírito Santo para que venha à luz toda a mentira que tem enchido a sua mente. Peça ajuda para um amigo ou para o seu discipulador para orarem juntos para que essas mentiras sejam quebradas na sua mente e para que a verdade seja declarada.

Invista tempo conhecendo mais da Palavra de Deus, participando dos GCEMs, dos cultos, conversando com seu discipulador, fazendo jejuns e orando. Use todas as armas que o Senhor te deu para vencer as mentiras e viva uma vida baseada na verdade!

Você conhece pessoas que têm vivido nas mentiras do inimigo?

Se sim, comprometa-se hoje a orar por elas. Interceda para que elas possam conhecer as verdades de Deus sobre elas e para que não sejam mais escravas das mentiras. Comprometa-se a sempre dizer a elas quais as verdades que a Palavra do Senhor diz sobre elas.

Encoraje-as dizendo que há uma vida plena e que satisfaz para elas também!

Incentive todos a compartilhar. Esteja atento àqueles que precisam de encorajamento e àqueles que precisam confessar para receber ajuda. Ore por todos.

Escreva um comentário

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga-nos: