O que Deus tem falado com você nessas últimas duas semanas? Quais experiências você teve com Deus?

Qual foi o problema de Asafe, no Salmo 73? Por que ele disse que quase caiu? (Sl. 73:1-28)

O Salmo 73 foi escrito por Asafe. Ele era o líder de louvor e adoração no templo. Era ele quem treinava e preparava os músicos. Alguém experiente, que conhecia a Deus a muito tempo. Ele começa o Salmo falando da bondade de Deus para com os puros de coração (v. 1). Mas, depois, conta de sua própria experiência.

Fala que quase tropeçou porque teve inveja dos orgulhosos, dos arrogantes, daqueles que não amam a Deus e prosperam. Se questionou se valia a pena ter o coração puro, chegou a pensar esse tipo de coisa (v. 13-14). Ficou se questionando o porquê da prosperidade dos ímpios (pessoas que não se importam com o que Deus pensa), mas não conseguiu entender (v. 16). Será que nós já pensamos assim? Já nos comparamos com as outras pessoas e questionamos Deus?

Mas isso tudo mudou em um momento específico, quando ele entrou no santuário de Deus (v. 17). Como ele poderia entra no santuário se estava sempre lá? Ele estava falando da presença de Deus, disse que foi buscar a Deus, a Sua face. E então ele compreendeu tudo aquilo que estava questionando.

 O que acontece quando buscamos a Deus de todo coração?

Quando estamos na presença de Deus, buscando de todo coração sua face, a Sua luz é tão poderosa que não vemos somente a realidade sobre as outras pessoas, vemos o nosso coração. E a luz de Deus não vem para condenar, vem para levantar, para restaurar. Na presença de Deus, Asafe percebeu que o seu coração estava amargurado (v. 21-22).

Quando Asafe conseguiu enxergar a bondade de Deus?

Quando ele buscou a sua face. Ele até começou dizendo que Deus é bom, mas ele só experimentou isso quando estava na presença do Senhor. Então, a luz entrou no coração dele e trouxe cura. E ele teve mais uma revelação: Deus nunca o abandonava (v. 23-25). Isso muda completamente a sua mente.

Qual é o problema no começo do Salmo de Asafe?

Ele estava tentando merecer o amor de Deus. Estava se esforçando, dando o seu melhor para merecer o Seu favor. Mas quando ele entra na presença do Senhor, descobre que já tem tudo isso. Ele estava olhando com olhos humanos, mas depois conseguia enxergar a realidade dos céus. Ele começa a ver que já tem tudo o que precisa, que não precisa merecer o favor de Deus.

Você acha que precisa merecer o amor de Deus? Ou você acha que não merece o amor de Deus? (Lc. 15:11-32)

A história do filho pródigo é um ótimo exemplo de duas pessoas que acham que precisam merecer o amor do pai. O filho mais novo pede a sua parte da herança, vai embora de casa e perde tudo. Então, ele decide voltar, já com um plano de pedir que seja tratado como um empregado, não se acha merecedor de ser filho. O pai nem termina de escutar o que ele estava dizendo, já o restabelece, coloca um anel em seu dedo, novas sandálias, a melhor roupa. Faz uma festa para recebê-lo de volta.

Mas ele não era o único a pensar assim. Seu irmão, apesar de não ter pego a herança e nem saído de casa, também pensava que tinha que merecer o amor do pai. Quando descobriu que o pai estava fazendo uma festa para o caçula, se irou, ficou indignado. Achou injusto tudo aquilo, ele achava que fazia tudo para merecer o amor de seu pai (v. 29).

Muitos de nós agimos assim. Pensamos que não merecemos o amor de Deus, ou que merecemos mais do que os outros, por causa de nossas atitudes. Não cremos que Deus quer nos abençoar e que já nos deu tudo. Pensamos que somos Seus escravos, e não filhos.

Todos os que se arrependem e entregam a suas vidas à Jesus não são mais escravos, mas filhos! Filhos e herdeiros! Não deixamos de ser filhos porque pecamos. Se nos arrependemos, ele nos recebe de volta. Ele já deu o Seu favor para nós. Quer nos abençoar e ser louvado por nós.

Quanto tempo o pai demorou para abençoar o filho que tinha voltado?

Foi imediato! Ele não esperou nem um segundo, já começou a festa. Deus é assim! Ele não nos pune, não fica esperando para ver nossas ações, manda fazer festa imediatamente quando nos arrependemos.

Nenhum daqueles filhos conhecia direito ao pai. E, muitas vezes, nós agimos como eles, porque não conhecemos o nosso Pai de amor, porque não gastamos tempo em Sua presença. E aí ficamos nos esforçando para merecer uma coisa que já é nossa.

Jesus pagou o preço para que sejamos filhos. Ele levou os pecados, as doenças e toda a condenação, não precisamos mais carregar essas coisas.

Você realmente acredita que Deus te ama, e que deseja abençoar a sua vida?

O Salmo 67 diz que Deus nos abençoa. Que podemos louvá-lo com amor e segurança, porque Ele nos ama e nos abençoa! Ele só espera que O louvemos e adoremos pelo que Ele já fez.

O mais difícil Ele já fez, já nos deu perdão e nos fez filhos, nos deu salvação. E, depois disso, pode fazer todas as coisas (Mc. 2:1-12). Pode nos curar, nos libertar, nos restaurar.

Deus quer abençoar seus filhos! Ele quer que o mundo veja o quanto Ele ama seus filhos, e cuida deles! Nós precisamos buscar a Deus e ter a coragem de agir como filhos, pedir o que necessitamos, e crer que recebemos. Somente assim impactaremos este mundo que não conhece a Deus!

Você ainda tem dificuldade de crer no amor de Deus? Você tem ainda uma mentalidade religiosa achando que precisa merecer o amor Dele?  

O Senhor já fez tudo por nós, fez tudo para provar o Seu amor por nós! Ele enviou Jesus para morrer pelos nossos pecados e para nos dar restauração.

O que te faz pensar que Deus não ama você? São os problemas? Os desafios? Ele quer te dar vitória sobre essas coisas, quer te abençoar! O que você precisa fazer é se aproximar dele e crer em quem Ele é!

Vamos nos arrepender de nossa incredulidade, e da religiosidade. Vamos buscar a Deus orando e adorando. Busque a face do seu Pai de amor, daquele que de a vida por você e creia!

Escreva um comentário

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga-nos: